Videogame cirúrgico

Hospitais controlados pelo grupo Amil adotam o Kinect nas salas de cirurgia e permitem o acesso a prontuários e informações médicas sem o uso das mãos

ELE FOI CRIADO PARA PERMITIR AOS USUÁRIOS DO VIDEOGAME XBOX360, da Microsoft, viverem uma experiência diferente diante da tela: interagir com os jogos sem a necessidade do uso de controles. Mas o Kinect, um aparelho com sensor de profundidade, microfones e uma câmera de acompanhamento dos movimentos do corpo em 3D, fez tanto sucesso que seu criador, o brasileiro Alex Kipman, nem imaginava que seu uso iria ser aplicado muito além do ambiente doméstico. Hoje, ele é usado em hospitais, centros de reabilitação e diversas instituições de saúde ao redor do planeta para as mais diversas finalidades operacionais e terapêuticas.

KinectAderindo à tendência, a Amil, empresa do grupo Amilpar (do qual faz parte a One Health), aproveitou a tecnologia e desenvolveu para seus 28 hospitais um aplicativo que permite aos médicos acessar por um telão informações, exames, radiografias, tomografias e o prontuário dos pacientes durante os procedimentos cirúrgicos, sem a necessidade de manipulá-los ou de sair da sala.

A ideia nasceu de uma pesquisa feita com parentes e acompanhantes de clientes que passavam por cirurgias no Hospital da Luz, na Vila Mariana, em São Paulo. Ao perguntar a eles qual o grau de angústia que sentiam enquanto aguardavam informações sobre o andamento das operações, a equipe do hospital descobriu que poderia criar uma TV que mostrasse o nome do familiar e o status da cirurgia. “A ideia de montar um painel televisivo gerou outra: já que vamos fazer um para os pacientes, por que não para a sala de cirurgia?”, conta Heraldo Jesus, diretor técnico do hospital.

kinectEm quinze dias, a equipe de Business Intelligence retornou não apenas com o projeto para a sala de espera, mas também com outra proposta: um sistema de consulta de informações médicas em uma tela ligada a um computador conectado ao banco de dados, dentro do centro cirúrgico, feito com o Kinect. Nele, a própria mão do médico funcionaria como mouse para acessar as informações projetadas em um telão.

Veja imagens do Kinect em funcionamento na sala de cirurgia

 

exameTecnologia livre

O sistema começou a ser desenvolvido em outubro de 2011 e foi implantado em março deste ano no Hospital da Luz e, em abril, no Hospital Pasteur, localizado no bairro do Méier, no Rio de Janeiro. “A operação é bem simples: o médico se posiciona diante da tela e a câmera do Kinect captura sua imagem e seus movimentos. Durante a cirurgia, ele pode simular cliques sobre os arquivos, aumentar ou diminuir imagens e escolher de que forma deseja visualizar as informações, apenas movendo as mãos”, explica Leonardo Simões da Cruz, gerente de Business Intelligence da Amil.

Entre os cirurgiões do Hospital da Luz, a novidade foi bem recebida. “Para nós, além do conforto de não precisar interromper o procedimento para manusear os exames, há a vantagem de poder visualizar com clareza os detalhes que podem nos ajudar a alcançar um melhor resultado nas cirurgias”, afirma José Luiz Cunha Carneiro Junior, gerente médico do Hospital da Luz.

O sucesso da implantação do aplicativo fez com que a Amil fosse convidada a apresentar a ideia em diversos hospitais da América Latina. “A solução pode ser aproveitada por qualquer instituição médica, já que o Kinect é uma tecnologia livre, que pode ser adaptada a diversos propósitos na área de saúde”, explica Leonardo Simões.

Em tempo real

Além do sistema na sala de cirurgia, o Hospital da Luz também conta com outro dispositivo adaptado ao Kinect. Substituindo o tradicional quadro branco onde se liam as escalas de procedimentos do dia, nos corredores do centro cirúrgico, há agora um painel eletrônico com informações completas sobre horários, cirurgias, pacientes, médicos e andamento, atualizado em tempo real. Para ver os detalhes, os médicos se posicionam diante da tela e acessam as informações da mesma forma que acontece no centro cirúrgico, apenas movimentando as mãos e simulando cliques sobre o que deseja visualizar.

Leonardo Simões diz que não há data prevista para a conclusão da instalação do Kinect nas salas de cirurgia nos outros 26 hospitais da Amil, mas adianta que a tecnologia já vem sendo aperfeiçoada internamente. “Estamos realizando algumas modificações, mas acreditamos que não irá demorar para que todos eles possam contar com esse benefício”, finaliza.

 

“A solução pode ser aproveitada por qualquer instituição médica já que o Kinect é uma tecnologia livre.”
Leonardo Simões 

Os médicos José Luiz Carneiro Junior e Heraldo Jesus, do Hospital da Luz, e o gerente de Business Intelligence da Amil, Leonardo Simões, idealizaram o projeto.
Quatro usos do Kinect na medicina

Clínicas, hospitais e universidades ao redor do mundo usam o aparelho para reabilitar, tratar e até operar os pacientes. Conheça algumas dessas ideias:

Reabilitação neurológica e muscular

A UniCid, em São Paulo, usa os games Kinect Sports, Kinect Adventures e Your Shape para complementar a fisioterapia dos pacientes. O aparelho é útil na recuperação do equilíbrio, coordenação motora, concentração, força muscular e resistência física.

Apoio em cirurgias

Um grupo de estudantes de engenharia da Universidade de Washington, EUA, está testando o Kinect em cirurgias. Eles criaram um programa para guiar robôs cirurgiões em operações delicadas, mais difíceis de serem realizadas por mãos humanas.

Reabilitação após derrame cerebral

No hospital inglês Royal Berkshire, os games do Kinect são usados na terapia de reabilitação de pacientes com derrame cerebral. Os movimentos trabalham as funções musculares, acelerando o processo de recuperação e promovendo maior independência.

Estimulação de crianças com autismo e Síndrome de Down

O centro de reabilitação Lakeside, também na Inglaterra, usa os jogos do Kinect para estimular a concentração e a capacidade de interação dos pequenos pacientes, além de trabalhar a linguagem e a coordenação motora.

por Ana Luiza Silveira fotos Luciano Munhoz
Techmed