Coração sob controle

 

O coração é como um funcionário exemplar, cujo trabalho só é notado quando deixa de ser feito corretamente. Muitas vezes, entretanto, a interrupção da plena atividade é assintomática e só se torna perceptível quando já é tarde – metade das vítimas de infartos e isquemias morre porque recebe atendimento tardio. Uma maneira de reduzir a quantidade de óbitos ou as sequelas do mau funcionamento do órgão seria antecipar a identificação de alterações a partir do monitoramento ininterrupto do batimento cardíaco. E essa possibilidade está próxima de se tornar real no Brasil. A CorCam, startup de telemedicina, desenvolveu um novo modelo de holter que pode desempenhar essa tarefa de forma inteligente.

Em seu modelo convencional, o aparelho funciona como uma espécie de gravador portátil que registra a frequência cardíaca de uma pessoa ao longo de um ou dois dias para diagnosticar doenças. Ao fim do período, o equipamento tem de ser levado ao hospital para a leitura dos dados. Já o criado pela CorCam, batizado de Nexcor, vai além: é mais leve e confortável, capta e analisa as informações no exato momento em que são geradas e acompanha de forma contínua os dados do eletrocardiograma (EGC) do paciente. Se os algoritmos do software identificam anormalidades no ECG, o sistema gera automaticamente um relatório e o envia para uma central de monitoramento ou, diretamente, para o médico responsável. A partir de então, o tratamento já pode ser iniciado, respeitando os riscos envolvidos – como histórico cardíaco familiar, diabetes e sedentarismo, por exemplo.

O novo holter tem tecnologia 100% brasileira e é o primeiro do tipo no mundo

Há sete anos em andamento, o projeto já envolveu mais de 150 pacientes em testes realizados em uma parceria da CorCam com o Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP) do HCor  – Hospital do Coração, em São Paulo. “Com o grau de tecnologia embarcada que possui, o dispositivo é capaz de identificar situações de risco, mesmo que o paciente não esteja percebendo qualquer anormalidade. Isso facilita muito o tratamento, pois, como faz análises o tempo todo, o holter lança o eletrocardiograma em uma fase muito inicial da disfunção”, explica Enrique Pachón, cardiologista do HCor e um dos coordenadores do estudo.

 

“O holter capta e analisa as informações no exato momento em que são geradas. Em caso de anormalidade, o sistema faz um relatório e o envia para uma central de monitoramento ou o médico responsável”

 

Mais agilidade

O Nexcor faz parte de uma tendência atual da Medicina: o acompanhamento remoto do quadro dos pacientes. Com ele, é possível agilizar a assistência médica, garantir uma recuperação mais rápida e dar mais segurança aos doentes.

“Cardiopatas costumam temer a morte súbita, o que é natural. Mas recursos ‘virtuais’ oferecem mais conforto e transmitem mais confiança. A telemedicina é a verdadeira medicina sem fronteiras”, diz Enrique Pachón, do HCor.

Atentos a esse novo caminho, os responsáveis pela criação desse holter desenvolveram um software que pode ser atualizado e já trabalham em sistemas capazes de monitorar outras funções. “Estudamos uma versão que mede a oxigenação do sangue através de uma luz infravermelha e pode observar, por exemplo, a qualidade do sono. Também pensamos em dispositivos que possam controlar a atividade cerebral e até a glicemia, que seria medida por suor, saliva ou contato direto com a pele. Sempre através de métodos não intrusivos”, finaliza.

Conexão direta

Toque e entenda como funciona na prática o Nexcor

O Nexcor também gera ECGs sob demanda, a partir de pedidos realizados pela central de monitoramento, no portal de internet da marca ou por meio de SMS. A transmissão de todos os dados é realizada a partir de redes de celular. Caso haja uma falha, o novo holter armazena as informações até que o sinal seja restabelecido. Ele ainda é equipado com um sistema de comunicação bidirecional e um de viva-voz que permitem aos médicos falar diretamente com o paciente – este, por sua vez, pode acionar os plantonistas por meio de um botão de emergência. Outro diferencial é o fato de o dispositivo contar com GPS e acelerômetro, que detectam eventuais quedas. Assim, ainda que o paciente não esteja em condições de responder, a central poderá providenciar o envio de uma equipe de resgate para atendê-lo.

De acordo com os desenvolvedores, esse tipo de equipamento é indicado para pacientes com marca-passo ou que fazem uso de medicação com potencial arritmogênico (que causa arritmia), para a avaliação de arritmias, coronariopatias e reabilitação cardiopulmonar. Outra função do gadget é a investigação de síncopes, já que, após um desmaio, é comum que os exames não acusem qualquer problema.

Segundo Marcelo Roriz, diretor administrativo da CorCam, a previsão inicial é de que o Nexcor chegue ao mercado no começo do segundo semestre, disponível para locação por períodos predeterminados. “Ele será oferecido sempre a empresas de home care e centros de habilitação, já que não é um sistema de diagnóstico em si, mas uma espécie de alerta. O equipamento precisa estar vinculado a um médico, que é quem fará o acompanhamento”, ressalta.

por Irene Donatti - foto: Getty Images
Techmed